Anhanguera. Aqui, o seu esforço ganha força

Para acessar a sua área você deve escolher:

  • Tenho uma conta Anhanguera Office 365

    Acesse a sua conta utilizando o seu login do Office 365

    ACESSAR MINHA CONTA
  • Ainda não tenho uma conta Anhanguera Office 365

Esqueci minha senha / 1° acesso
Notícias
Voltar

5.11.2014

Harry Potter para os pequenos


Adaptar a história do bruxinho mais amado da literatura mundial para crianças de sete a dez anos. Este foi o desafio encarado por sete alunos do 7 e 8 semestres do curso de Design da Anhanguera de São Paulo, unidade Brigadeiro.
No início de 2014, os estudantes decidiram criar como projeto de conclusão de curso um Estúdio de Design. Para tanto, além de proposta de trabalho, logotipo, visão e valores da empresa que eles vislumbravam criar, era preciso desenvolver um projeto que se tornasse o cartão de visitas do estúdio.
Foi aí que a magia de Harry Potter se manifestou. "Nós queríamos fazer um livro com pop ups (imagens que saltam do livro e o deixam mais interativo) e, depois de muita discussão, chegamos na saga Harry Potter", afirma Elias Fernandes, um dos alunos envolvidos no projeto. "Mas não queríamos fazer algo convencional, comum. Então, em conversa com a nossa orientadora, decidimos fazer uma versão infantil do personagem".
Depois de algumas pesquisas de mercado, os alunos viram que esse era um negócio viável e se debruçaram ao longo do ano na adaptação da primeira obra da saga: Harry Potter e a Pedra Filosofal. Para realizar a adequação do texto ao público-alvo, eles contaram com o auxílio de uma pedagoga e fizeram uma série de testes de leitura, com cerca de 100 crianças.

BECO DIAGONAL
De todos os desafios enfrentados ao longo do projeto, o maior deles, segundo os estudantes, foi a criação da arte do livro e a adaptação dos desenhos dos personagens. "Como o livro contém pop ups, recriar o Beco Diagonal ou mesmo o jogo de Quadribol e o cachorro de três cabeças, exigiu paciência e muitos testes até chegarmos ao resultado que a gente queria", afirma o aluno responsável pela arte, Werllen Hollanda.
Para a orientadora do grupo e coordenadora do curso de Design na unidade Brigadeiro, professora Andrea Gonçalves Carneiro, o projeto dos alunos reflete o caráter profissional do curso. "Nós sempre incentivamos os alunos a exercitarem a criatividade e apresentarem projetos inovadores e que possam ser absorvidos pelo mercado, garantindo a eles a inserção no mercado de trabalho", afirma.