Anhanguera. Aqui, o seu esforço ganha força

Para acessar a sua área você deve escolher:

  • Tenho uma conta Anhanguera Office 365

    Acesse a sua conta utilizando o seu login do Office 365

    ACESSAR MINHA CONTA
  • Ainda não tenho uma conta Anhanguera Office 365

Esqueci minha senha / 1° acesso
Notícias
Voltar

13.11.2014

Centro de Culinária Brasileira em São Caetano

No dia 17 de novembro a Anhanguera de São Caetano inaugurou o Centro de Pesquisa da Cozinha Brasileira. O objetivo do espaço é incentivar e estimular os alunos de graduação em Gastronomia à pesquisa operacional e escrita, criando artigos científicos de descobertas de sabores.
"Temos um país enorme com sabores muitas vezes desconhecidos", afirma Bete Carneiro, coordenadora do curso de Gastronomia da Anhanguera de São Caetano. "Apresentar isso ao aluno de uma forma acadêmica fará com que a nossa gastronomia ganhe novas descobertas e, os alunos, novas experiências de aprendizado".

O evento
O evento de apresentação aconteceu na Anhanguera de São Caetano. Os chefs e empresários participaram de um menu degustação de produções com ingredientes brasileiros. Entre os confirmados estavam Gustavo Rossi, da Casa & Cultura Gourmet, Denis Littel, do Estação Leopoldina, Wendell Marques e Dennis Lewis, da Rebal Utensílios para Cozinha, além de empresas como a Midea do Brasil, Munik Chocolates e a instituição Patronato INAS Italiano.
Projeto Horta
O Centro de Pesquisa da Cozinha Brasileira conta com uma horta orgânica para o plantio e cultivo em solo orgânico, de hortaliças, em especial, ervas que serão utilizadas nas produções gastronômicas do Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia.
A horta faz parte do projeto Sementes do Futuro, que tem como objetivo ampliar o conhecimento dos discentes do curso em relação aos ingredientes e técnicas de produção, incentivando a pesquisa, produção científica e divulgando a ação por meio de materiais internos, blog e redes sociais, além de promover a interdisciplinaridade entre os cursos. "Temos um longo caminho a ser percorrido até colher os frutos que estamos semeando. Mas os alunos estão colocando a mão na enxada para que seus esforços ganhem frutos", afirma a coordenadora Bete Carneiro.